Episódio #2.18 - Appetite For Destruction

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Episódio #2.18 - Appetite For Destruction

Mensagem  Leo Oliveira em Sab Abr 06, 2013 3:09 pm

Um jantar com os Patterson traz os mais diversos conflitos, com Ryan (Sean Faris) se comportando estranhamente ao tratar sua relação com Ben (Matt Long) e Courtney (Samaire Armstrong) controlando os hábitos de Paul (Tuc Watkins). Lucy (Joanna Garcia) tenta apoiar a família de Marjorie (Allison Mack) num momento difícil, mas as coisas tendem a se complicar quando eles descobrem que ela não é quem diz ser. Will (guest Cody Longo) compra a aprovação de Becky (Amber Stevens) com uma moeda de troca pouco usual, enquanto a amizade de Aaron (Chord Overstreet) e Luke (Travis Caldwell) continua estremecida.
Também participam Daphne Zuniga, Mason Cook, Shelby Zemanek, Alan Pietruszewski, Neal McDonough, Hope Davis, Jake McDorman, Julie Gonzalo.

Leo Oliveira

Mensagens : 169
Data de inscrição : 17/10/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Episódio #2.18 - Appetite For Destruction

Mensagem  Harbor em Dom Abr 14, 2013 10:41 pm

Acho incrível como absolutamente todos os personagens da série têm um background bem dramático (Luke e o drama do picles não me deixa mentir!). Mas o bacana disso é que usa todos os dramas de forma tão pontual que tudo acaba servindo para nos aprofundarmos mais nos personagens e enxergarmos novas camadas deles. E, entre tanta história dramática, não posso negar que a de Ryan é a que mais me emociona e me comoveu de uma forma nesse episódio como nunca antes.

Ryan não é só meu marido e personagem preferido de Time, como muito provavelmente é meu personagem preferido da TVSN. Sério, começou a série fingindo ser um brutamontes quando na verdade era só um fofo querendo ser amado por Lucy. Aí depois veio a história do pai e seus sentimentos profundos por Ben que meu amor por ele só cresceu.
Assim como Ben, saquei desde o início o que ele queria agindo de forma tão surreal no jantar. Confesso que até me diverti com toda a loucura que ele criou, mas meu lado otimista iludido queria muito acreditar que ele estava fazendo aquilo tudo em vão porque realmente Robert mudou e quer tentar ser um cara melhor. E no fim das contas, com aquele diálogo de acerto de contas deles meio que isso foi confirmado.
Esquecer e perdoar são coisas bem diferentes e receio que no caso de Ryan ele ainda não está tão disposto a perdoar, mas fico feliz que ele já esteja disposto a aceitar que outras pessoas fizeram isso. E quem pode culpá-lo por ainda não conseguir perdoar Robert? Como eu disse, perdoar e esquecer são coisas diferentes, mas que caminham juntas, e nesse caso específico toda a situação ainda assombra muito Ryan (vide pesadelo), então não é tão simples assim. Além disso, tem toda a questão do trauma de dirigir... Achei bem interessante descobrir que indiretamente Robert também prejudicou Ryan com problemas de direção e agora toda a crise de pânico que ele teve no 2.07 fez mais sentido, ainda mais considerando que o fator chuva tornou a situação do presente semelhante a do passado. O mais incrível disso tudo é que mais uma vez me deixou em uma situação complicada na qual não consigo escolher exatamente um lado. Acredito mesmo que Robert está arrependido e quero que ele tenha sua chance de se redimir mais e mais, mas é realmente muito complicado passar um borracha em tudo que fez para Ryan e Virginia, então só posso torcer para que o tempo traga algo de positivo do comportamento construtivo que meu pigmeuzinho decidiu ter. E ele tem todo o meu apoio em querer se manter receoso com o pai, só espero que Robert não se deixe abater por rejeição de Ryan e estrague mesmo essa última chance porque não sei se aguento mais chorar com esses dois! Sad
Vale dizer ainda que cenas de Ryan criança foram muito boas, mas é bom ressaltar que presença de Courtney criança deixou tudo ainda melhor. Dava para ver como os dois eram cúmplices e que, por mais que tenha ficado apavorada com Ryan espancando o outro garotinho, Court temia que ele fosse ter um castigo terrível com o pai. Aliás, toda a sequência inicial somada às narrações de Ryan e com a revelação do motivo dele espancar o outro menino só deixou tudo ainda mais tenso. Sério, muito provavelmente roeria minhas unhas de apreensão com a iminência surra de Ryan caso eu tivesse esse tique nervoso. E escrevendo sobre todo esse momento tenso da infância de Ryan, me faz ficar ainda mais ao lado dele de querer distância de Robert, por mais que torça por melhora de Robert. GAAAAH!

E é por todas as mazelas que Ryan já passou que fico ainda mais feliz ao ver o desenvolvimento do relacionamento dele com Ben. A desavença dos dois por causa do comportamento de Ryan foi bacana principalmente porque só mostrou o quanto Ben compreende o amigo (e agora namorado) e quer vê-lo sendo feliz. A cena do pesadelo deixa isso bem claro, porque Ben quer ajudar Ryan que continue na defensiva, mas acaba cedendo e tendo o momento fofo de aconchego no tórax de Ben.
Única coisa que preciso reclamar é que precisam ter um momento umidificante logo, gente! Afinal, o próprio Ryan já demonstrou anteriormente como está preocupado com exercícios de glúteo de Ben. Aposto que tá louco para ajudá-lo mais ativamente nisso! Rolling Eyes

Com os demais membros do quarteto fantástico envolvidos em seus problemas de relacionamento, fico bem feliz de ver Lucy (ou devo dizer Lucille?) tendo essa interação toda com Marj. Muito divertido ver Lucy sendo o alívio cômico do dia com toda sua estratégia de bancar a namorada de Marj, o que fica ainda melhor com seu alter-ego sulista finalmente dando as caras. Sério, toda essa sequência foi bem divertida e curti muito porque ajudou a relaxar um pouco pro baque que viria depois. Aliás, é incrível como esse episódio balanceou muito bem o drama e a comédia. Uma hora estava rindo horrores, na outra estava bem tenso ou quase chorando. Well done, senhor Oliveira!
E não tenho nem palavras para descrever como crisei com todas as expressões sulistas que Lucy encaixou na sua interação com os Caulfields. Risada suficiente para dez fileiras de dentes! Smile

Muito bom também ver a família de Marj em cena novamente, com destaque absoluto para Annie toda empolgada com Eureka e fazendo referência a Andie (sdds Offbeats!. Na verdade, Warren se destacou mais, mas falarei mais dele mais tarde. Claro que não curti tanto assim vê-los tendo o momento familiar mais difícil com descoberta do aneurisma de Richard.
Achei um tremendo desbunde nos enganar com essa viagem de Marj e Lucy, acreditei mesmo que teríamos avanço, mas aparentemente foi mais um tapa na cara de Marj dado pelo universo para ela desistir de tudo. Creio que com chegada de seus irmãos a Crestview vamos ter mais avanço nessa situação. No entanto, como sou sempre bem leigo nos plots envolvendo a feitiçaria tecnológica, preciso dizer que estou receoso com toda essa participação de Lucy na história, fico com medo dela desenvolver algum problema que nem pai de Marj!
Ainda preciso dizer que, por mais que Ryan me comova mais com seu drama, não nego que também fiquei com um nó na garganta por Marj ter que reviver um dos piores dias de sua vida novamente e descobrir que aparentemente não pode fazer nada para reverter a situação do pai. Tem que ver isso aí, Leonardo, numguento ver esses personagens deliciosos sofrendo assim!

Na sequência temos Putiney e, gente, como não amar esse casal? Amo muito toda a preocupação de Court recorrendo às suas três (!!!) nutricionistas par ajudar Paul com sua dieta. Aliás, preciso dizer que os outros podem até criticar Paul por sentir prazer em comer, mas me identifico tanto com ele que entendo completamente seu dilema. Quer dizer, às vezes como uma banana e em menos de uma hora já quero devorar um pacote de trakinas, então entendo barra de vida que passará sendo obrigado a lidar com apenas meia banana. E tenho que confessar que também fiquei muito curioso em saber o que fará com o restante da banana. Aproveito esse momento para dizer que desciclopei muito a discussão inicial do casal com toda a adivinhação envolvendo pôneis e relógios suíços, mas fico feliz que tenham resolvido tudo no final. Não quero menosprezar a diabetes de Paul, mas creio que aborto de Court vai gerar mais problemas para o casal e algo me diz que isso virá à tona no próximo.
Por falar nisso, é bom ressaltar que Court é uma bela de uma namorada. Claro que é um pouco manipuladora e tudo mais, mas não dá pra negar que se esforçou bastante para ajudar Paul e aturou da melhor maneira possível os ataques de abstinência dele. Digo isso porque, fora crise que chegada de Jimmy acarretou, ela tem se mostrado uma excelente namorada ajudando Paul. E só não ajudou com crise de Jimmy melhor por causa de seus próprios traumas, então espero que Paul seja compreensivo com ela quando bomba do aborto estourar. Quanto mais paro para pensar, mais amor desenvolvo por esses gêmeos que juntos têm uns 5 corações! Very Happy

Se eu achava Court manipuladora, mudei de ideia quando vi tudo que Becky aprontou... Ainda não sei exatamente de que lado ela realmente está, mas só sei que com tanta manipulação ela vai conquistar o mundo! Ainda mais usando táticas de guerirlha que nem eu nem Luke entendemos! Laughing
Tenho a impressão de que sugeri em algum comentário que usasse Warren e Annie como novos pares românticos para Becky e Luke (ou apenas pensei e não externei!), mas juro que não esperava um uso tão providencial dos dois. Quer dizer, Annie nem se integrou ao plot, mas amizade de Will e Warren tão boa e bem utilizada que tá de parabéns. Primeiro porque evita a participação de algum guest desnecessário para ser amigo de Will (e provar que LA é maior cidade pequena do mundo!), segundo porque permite que Becky mostre seu lado devasso que é tão divertido, e terceiro porque permite que Warren descubra mais sobre os avanços de Marj e convoque Annie para invadir Crestview. Baila, Maria! Desse jeito, já começo a ficar esperançoso em achar que Aaron não vai se mudar pra LA. Will foi muito fofo unindo forças com Becky para forçar a reconciliação de Aaron e Luke que sinceramente não vejo porque obrigaria o namô a ficar longe do seu BFF. Aaron não conseguiria lidar com toda a chantagem emocional dos outros e sair de Crestview, então nada mais justo que Will e Warren se instalarem em Crestview logo.
Voltando a Becky, é incrível como ainda me surpreendo com peripécias que apronta! Achei todas suas falas absolutamente hilárias e fiquei muito feliz que tenha usado todo o potencial cômico de Becky para poder balancear com a dramatização dos outros plots. Além de ser a diva do humor do episódio (Lucille chegou perto!), Becky mostrou uma química ótima com Warren e já torço loucamente para que casinho descompromissado deles não seja tão descompromissado assim e eu possa me divertir mais com esse cara muito complexo e cheio de nuances e vulnerabilidades, LOOOL.
E não é ótimo que depois de eu infernizar tanto pela volta de Lecky já esteja aqui dando minha bênção para novos pares do ex-casal? Aliás, preciso dizer ainda que toda a dinâmica de amizade bizarra que Lecky desenvolveram pós-término é tão deliciosa que nem sei exatamente porque insisti tanto para voltarem, estão ótimos assim!

Por fim, temos o retorno do bromance inofensivo de Aaron e Luke. Fico extremamente feliz que Luke tenha deixado de ser um teimoso e tenha dado o braço a torcer... Sorte dele que Aaron é tão fofo que se desculpa mesmo quando não tem necessidade e ainda oferece seu ombro amigo quando não é requisitado. A cena de reconciliação foi muito fofa e até entendo os motivos que fizeram Luke se decepcionar com o amigo, mas ainda bem que decidiu deixar isso de lado. Sou um dos poucos que ainda defende Luke, então não pode abusar muito da minha compreensão. Dito isso, até acho que foi bom terem demorado alguns episódios para se acertarem, Luke é tão cabeça dura que dar o braço a torcer rapidamente destoaria da personalidade dele.
E sei que com Jill, ele tem a vantagem de ter o filho postiço que tanto deseja, mas não posso negar que muito me interessaria ver a loucura dele namorar a irmã do cara que a Becky tá pegando! Acho que a melhor solução seria desenvolver possíveis casos com as duas, afinal Luke é um mulherengo incorrigível!

Bem, acho que é isso... Sempre tento destrinchar o máximo possível da série, mas episódios têm tanto conteúdo que às vezes acho que deixo passar algo! silent Agora é correr pra ler o próximo, que já me deixou ansiosíssimo com tanto fantasma voltando!

P.S.: Court e Ryan são tão gêmeos que ficam sabotando os jantares da mãe para terem brigas familiares. Court com Virginia na primeira temporada e agora Ryan com o pai.

P.S.2: Virginia continua não tendo muito importância na série, mas fica impossível não amá-la quando elogia corpo robusto e jeitão meio lenhador rústico de Paul, LOOOOOL!

Harbor

Mensagens : 143
Data de inscrição : 12/03/2011

Ver perfil do usuário http://www.twitter.com/c_harbor

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum